16 de jan de 2011

ENTREVISTA DE DOMINGO: João Emílio, do Estrela


Guerreiro do Esporte. Lutador. Batalhador. Incentivador. Um paizão, marido, avô e amigo maravilhoso que faz a felicidade e a alegria de quem está na sua companhia. Palmeirense. Abençoado por Deus.
Este poderia ser o perfil de João da Silva Alves, o seu "João Emílio", presidente, fundador, técnico e faz tudo do Esporte Clube Estrela, desde 1965. Que quem tem mais de 40 anos, joga, torce ou vive o esporte em Campo Mourão conhece ou simplesmente já ouviu desse ipiranguense, nascido em Ivai Carmão, no Paraná.
Mourãoense de coração, apaixonado por Deus, sua família, seus amigos, o E. C. Estrela e é claro, o Palmeiras, João Emílio é a Celebridade desta semana na ENTREVISTA DE DOMINGO aqui no Nosso BLOG.
Nesta homenagem ele conta um pouco da sua história de vida, lutas e glórias em mais de 70 anos de atuação na comunidade. "Não conheço ninguém que tenha maior paixão pelo futebol do que o seo João Emílio", diz Itamar Tagliari.
Fazemos uma homenagem justa e merecida, e em vida a quem fez e faz pela nossa gente e nossa terra.
QUEM É JOÃO EMÍLIO? Sou paranaense nascido em 26 de novembro de 1938 na localidade de Ivaí Carmão, então Município de Ipiranga. Sou filho de José Alves da Cruz e Minervina Maria da Conceição, tendo como irmãos Gumercindo, Maria, Ana, Praxedes, Francisco, Aníbal, José Augusto, Casturina e Sebastião. Sou casado há 51 anos com a dona Ivone, que conheci e namorei na região de Campina do Amoral, hoje distrito de Luiziana. Temos cinco filhos Dioclere, Roseneri, Ronaldo - na foto, quando menor ao lado de Osvaldo Broza, na época do Estrela; Roberto e Rita, que nos deram 10 netos e um bisneto. Moro em Campo Mourão desde 1968.
Meu nome é João da Silva Alves, mas conhecido como João Emílio, como fui batizado. A história é engraçada porque uma de minhas irmãs namorava um rapaz que se chamava Emílio e na minha crisma o padre que se chamava João disse: “Mas não tem Emílio na Bíblia?” Então, fui batizado de Emílio em casa e daí para cá fiquei conhecido como João Emílio, o “seo” João do Esporte Clube Estrela. Filhos e sobrinhos na Praça da Matriz de Campo Mourão em 1973
COMO FOI A CHEGADA DO SENHOR EM CAMPO MOURÃO? Minha infância vivi até os 14 anos em Ivaí Carmão e sempre trabalhando na lavoura. Depois minha família mudou para a região de Mamborê com a idéia de ganhar posses de terras para trabalhar na lavoura. Mas, como isso não foi possível durante os primeiros dois anos tivemos que mudar para a atividade de madeireiro que era forte na região. Aprendi o ofício de afiador de serrafitas com 16 anos graças a família Podolan. Trabalhei em muitas madeireiras, do Getúlio Ferrari durante 10 anos, dos Perdoncini, dos Assad e dos Stanizewski, entre outras famílias. Também trabalhei vários anos em Amambai em Mato Grosso do Sul e em Sinop, Mato Grosso, até me aposentar em 1997. COMO FOI O INÍCIO E SUA ATUAÇÃO NO ESPORTE? E COMO DIRIGENTE? Sempre gostei de futebol e joguei, em Campina do Amoral, mas não era muito bom e não tive destaque como jogador. Na imagem abaixo João Emílio é o primeiro em pé à esquerda, nos tempos de Campina do Amoral. Sempre fui muito católico e no início da década de 60 fazia parte do movimento da Congregação Mariana, na Catedral São José em Campo Mourão. E havia alguns Membros que gostavam de esportes. Então surgiu a idéia de montar um time de futebol inicialmente com o nome de América em 1965. Fazia parte desta congregação os irmãos Itamar, Carlão e Vanderlei Tagliari, e levamos à discussão três nomes de times que deveríamos escolher um nome. Era o São Paulo defendido pela família Tagliari, o Ateneu por João Claudino e o de Estrela, por mim e por João Maria Bueno. Veio a votação e venceu o nome de Estrela. A ata foi lavrada em 10 de julho de 1965 e eu fui designado primeiro presidente do Esporte Clube Estrela. O SENHOR GANHOU MUITOS TÍTULOS COM O ESTRELA? Infelizmente não, e essa é a minha frustração de não ter ganho nenhum título de campeão com o Estrela. Fui vice várias vezes e o Estrela foi campeão em anos que estive fora de Campo Mourão, por motivo de trabalho. Tenho orgulho de ter ajudado a fundar o Estrela, feito muitos amigos com o futebol. O Estrela durante muitos anos participou de campeonatos amadores e de Taça Paraná, representando Campo Mourão. QUAL É SEU ESPORTE PREFERIDO, TIME DO CORAÇÃO E O MAIOR ÍDOLO DESSE TIME? Meu esporte preferido é o futebol, o meu time a Sociedade Esportiva Palmeiras e entre os craques Oberdan, Ademir Da Guia e Cia. Uma das grandes emoções na minha vida foi assistir ao vivo um jogo do Palmeiras no Parque Antárctica em 13 de agosto de 2005 – vitória de 3 a 2 sobre o Inter, num sábado, véspera do Dia dos Pais, com o Palestra lotado com cerca de 25 mil pessoas- ao lado do meu filho Ronaldo e de amigos como o Daniel Martins de Campos e o seu filho Ilivaldo Duarte, junto na delegação dos Amigos Palmeirenses da Arcam.
E A SUA CARREIRA DE ARTISTA DA MÚSICA SERTANEJA? Sempre gostei da música sertaneja desde a minha adolescência. Formei o trio “Rozanito, Rozaninho e eu como Catarinense”, gravamos um LP, e durante muitos anos participei de programas ao vivo na Rádio Colméia com o Zé Mané, o Coronel Bastião e o Toninho Reinizs, e também na Rádio Humaitá na televisão. Fizemos sucesso, mas infelizmente gravamos o LP que demorou para sair da produtora e gravadora. Perdemos tempo e dinheiro, mas fazíamos o que gostávamos.
O QUE O SENHOR MAIS GOSTA EM CAMPO MOURÃO? É uma cidade gostosa de se viver, foi aqui que cheguei com 14 anos e criei meus filhos. Mas tem problemas na saúde e na segurança. Acho que os administradores deveriam ser escolhidos pela sua competência, cada competente no seu lugar. Quanto a Campo Mourão do futuro gostaria que as promessas feitas fossem cumpridas para o bem de todos.
CITE TRÊS PERSONALIDADES ESPORTIVAS DE CAMPO MOURÃO? Entre tantas pessoas, destaco o Itamar Tagliari, Mário Paulista e o Segundo Gariboti. Itamar entregando a homenagem ao João Emílio no programa Tocando de Primeira.
CITE TRÊS PERSONALIDADES MOURÃOENSES? O padre Ademar, o Basílio Irineu Lídio e o Otacílio Carolo Tramujas. QUAL O SEU RECADO AOS LEITORES DO BLOG DO ILIVALDO DUARTE? Gostaria que os administradores investissem na formação dos atletas no futebol de campo e que novos campos fossem construídos. Vemos hoje muito incentivo no futsal e no futebol suíço e pouco no futebol de campo. Antes tínhamos torneios e campeonatos de futebol de campo e hoje não conseguimos sequer montar times para o Amadorzão, por falta de campos, apoio e de gente praticando o futebol de campo.
O Estrela é o time do coração que já tem 45 anos de existência, numa época em que jogávamos por amor e fazíamos muita amizade. Sinto-me feliz em ter ajudado a construir esta história do Estrela, que como o Ilivaldo sempre diz, é o “Azulão do Centro-Oeste”.
Nas imagens acima, João Emílio ao lado dos esportistas Santo Antonio, Osvaldo Broza e Ronaldo Gonçalves, no programa Tocando de Primeira em 15 de janeiro de 2010 na Rádio Colméia em Campo Mourão.

Um comentário:

  1. Tive a oportunidade, quando criança, e recordo com boa memória, de uma apresentação do Trio Rozanito, Rozaninho e Catarinense, na comunidade de Alto São João, numa festa da Igreja São Sebastião. Que saudade que dá dos velhos e bons tempos.

    Parabéns ao entrevistado e ao meu confrade Ilivaldo Duarte que reinicia suas entrevistas.

    Prof. Agnaldo Feitoza

    ResponderExcluir