1 de mai de 2010

ENTREVISTA DE DOMINGO: Aroldo Tissot


O jornalista Aroldo Tissot, diretor do jornal Gazeta do Centro-Oeste é o homenageado desta semana na ENTREVISTA DE DOMINGO. Na quinta-feira (29/04) ele foi o entrevistado do programa FALANDO SÉRIO, na Televisão Carajás.
Aroldo Tissot, o mais experiente jornalista em Campo Mourão e região conta um pouco - só um pouco - da sua história no jornalismo, iniciada aos 15 anos de idade, no final da década de 40, como repórter esportivo em Curitiba.
Tissot opina sobre o papel da imprensa, política e como deve ser o jornalismo. "Fazer jornal hoje é uma ´barbada´, difícil era na ´época em que tinhamos que montar letra por letra. Em comparação com antigamente, eu acho que ´piorei´muito, pois hoje vivo jornalismo 24 horas por dia. Tenho um sonho de escrever um livro, mas acho que não tenho coragem." Esses são alguns pensamentos deste torcedor do extinto Ferroviário que deu origem mais tarde ao Colorado, Pinheiros e Paraná Clube, e desta pessoa sensível que coloca alma em tudo o que faz e é chamado de "minha jóia" pela sua companheira Sônia, companheira inseparável há muito e muitos anos.
Aroldo, esta é uma pequena homenagem, com a certeza de que tudo jamais será escrito sobre o seu trabalho e o que representa para o nosso jornalismo.
Viva! Uma ótima leitura e excelente semana.
QUEM É AROLDO TISSOT? Sou uma uma pessoa simples, que só pensa no bem estar de todos os seres viventes. Torcedor das grandes vitórias da humanidade, principalmente, aquelas que trazem a todos a esperança de melhores dias. Meus saudosos pais, Javert e Velvira Freitas Tissot, são os responsáveis pelo meu jeito de ver a vida e suporta-la, mesmo depois das grandes surpresas que ela nos apronta.
Sou desquitado, pai de quatro filhos: Luz Marina, Aroldo Jr, Roberto (que nos deixou ainda jovem) e Paulo Marcos.
Nasci em Curitiba, no dia 15 de fevereiro de 1933. Conheci Campo Mourão em 1955 e aqui fixei em 1957. Por que Campo Mourão? Simplesmente porque senti que aqui poderia ter a vida que desejava ter. Cercada de pessoas, que como eu, acreditavam em um futuro não só de flores, mas com relativa paz é, sobre tudo, com grandes possibilidades de uma vida cheia de felicidade.
E hoje, embora as enormes dificuldades que em certos períodos de nossa vida passamos, certo quando resolvi fincar os pés nesta terra, que muitos ainda não perceberam, que começa a demonstrar que tem, já no presente, a um progresso brilhante, comprovado pela presença de empresas como a Tyson, a maior empresa do mundo em setor, e outros exemplos de empresários que com seus atos, demonstram que acreditam no futuro, pois estão indo fundo com seus negócios como é o caso do Paraná Supermercados, que está construindo seu terceiro mercado na cidade; da empresa de Paranavaí, a Pirâmide, concessionária da Volkes, que triplicou de tamanho, o prédio da antiga empresa; a Comercial Ivaiporã, que já estava em Campo Mourão há alguns anos e entusiasmados com o acelerado progresso, contruiram e já inauguram recentemente, uma nova casa, com um prédio em moderna e arrojada arquitetura; a construção, também com um prédio de fazer inveja a municípios de maior porte no Paraná.
Anos antes a vinda da Salfer, da MM e nestes dias, uma grande empresa de Toledo, a LM.
Esses são apenas alguns exemplos que constatam uma Campo Mourão com um salto de qualidade nunca visto no passado.
ONDE E COMO FOI SUA INFÂNCIA? Minha infância não foi o que meus pais desejavam, mas pela necessidade de meu pai em melhorar de vida, após deixar o exército, foi ser fiscal de vendas do Estado e tivemos que morar alguns anos nas barrancas do rio Paranapanema. Sem vizinhos, sem escola, sem nada... Éramos uns “exilados” no norte do Paraná. Isso tudo, como é lógico, nos impedia de freqüentar uma sala de aula. Mas a visão de meus pais, fez um verdadeiro milagre, pois eles não tinham cursos além do antigo grupo escolar, mesmo assim, conseguiram que eu e minha irmã Arilda, saíssemos da escuridão na analfabetismo. Só anos depois, com a promoção de meu pai, fomos viver em cidades. Começamos a freqüentar uma escola, mas o emprego era sujeito a constantes transferências e muitos anos perdemos de estudos. Mas, aos “trancos e barrancos” concluímos o primário e o secundário. Só mais tarde, já em Campo Mourão, nos formamos em Técnico em Contabilidade e mais tarde, iniciamos o curso de pedagogia em nossa Fecilcam. Não concluímos o mesmo, pois desistimos devido a fraqueza do curso na época. Já nos definimos no inicio desta entrevista.
Com Nelsinho Teodoro e Dr. Milton Luiz Pereira
ONDE O SENHOR ESTUDOU E QUE CURSOS FEZ?
Estudei em grupos escolares das cidades de Santa Mariana, Andirá e Cambará. Já de volta a Curitiba, no Colégio Estadual do Paraná e Instituto Rio Branco, um curso de jornalismo, que apenas nos deu mais algumas noções além daquilo que já havíamos aprendido na prática.
Em maio de 2005, o título de Cidadão Benemérito de C. Mourão
QUAL FOI SUA TRAJETÓRIA PROFISSIONAL?
Comecei como amador, pois foi trabalho como repórter do Jornal de esportes chamado Paraná Esportivo, em Curitiba. Tinha 15 anos. Mais tarde trabalhei, ainda com matérias esportivas, na Gazeta do Povo, sob a chefia de Aloas Ribeiro. Neste Jornal, fomos colega de um dos maiores governadores que o nosso Paraná já teve, Bento Munhoz da Rocha Neto, o Bentinho.
Mais tarde, vindo para Campo Mourão, fundamos o Jornal do Campo e Perfil.
Em 1980, assumimos a redação da TRIBUNA DO INTERIOR, onde ficamos até o final de 1981, para fundar a “menina de nossos olhos” a GAZETA DO CENTRO OESTE, que completou em março 28 anos.
Governador Richa e Tissot no aeroporto de C. Mourão
TEM TRAJETÓRIA ESPORTIVA?Não tenho trajetória esportiva, a não ser nos jornais como já falamos.
QUAL SEU ESPORTE PREFERIDO, TIME DO CORAÇÃO E IDOLO?
Meu esporte preferido é futebol e meu clube preferido é o Paraná Clube, de Curitiba e, não chegou a ser meu ídolo, mas o jogador que vi jogar no Maracanã, foi Garrincha (foto).
QUAL O MELHOR TIME QUE O SENHOR JÁ VIU JOGAR? O melhor time que já vi jogar, também no Maracanã, foi o Vasco da Gama, onde morei por oito meses, para freqüentar um curso de Saneamento Básico, pela Secretaria de Saúde, onde era funcionário.
QUANDO COMEÇOU A SUA PAIXÃO PELO JORNALISMO? QUEM FOI O “CULPADO”? Parece que minha paixão pelo jornalismo começou quando nasci, pois nunca pensei em outra profissão.
Com a equipe da Rádio Colméia em evento de celebração
QUAL O LEGADO NESSES ANOS TODOS DE PRÁTICA DO JORNALISMO? O QUE LEVOU O SENHOR A ESSA PERSISTÊNCIA?
O legado nesses anos de jornalismo foi ver que esta profissão é uma das mais úteis para toda a humanidade. A minha persistência foi graças aos motivos que já descrevi anteriormente.
COMO O SENHOR AVALIA O PAPEL DA IMPRENSA NOS DIAS ATUAIS? O papel da imprensa nos dias de hoje é o mesmo desde o dia que nasceu. Ela é feita pelas mesmas pessoas do passado, o homem, que, como ser humano, não é perfeito. O que mudou, para melhor, foi a técnica. Hoje um jornal de porte médio é impresso em algumas horas.
A importância da imprensa é fundamental nos dias de hoje, principalmente para tentar, pelos menos frear, a espantosa onda de corrupção que assola o nosso Brasil. Uma prova cabal dessa importância é só um pequeno exemplo, os DIÁRIOS SECRETOS, uma série de reportagens publicadas pelo jornal Gazeta do Povo e que estão deixando os paranaenses boquiabertos. E essas reportagens só dizem respeito a Assembleia Legislativa. Pasmem!
Ao lado de Hanz Ravache, Ambrósio Neto, Pedro Veiga e Luiz Gonçalves, na primeira equipe de radialistas na Colméia.
E COMO É A IMPRENSA MOURÃONSE? O QUE PRECISA PARA SER MELHOR? A imprensa mourãoense, como em todo o Brasil, não tem a independência que deveria ter. O poder financeiro sempre falou e continuará a “orientar” o destino do Jornal. Infelizmente. A nossa evolução é a mesma que a imprensa de outros locais. Em alguns casos um pouco menos, em outros, um pouco mais evoluída.
Para melhorar, é preciso que o número de profissionais capacitados apareça em número maior. São poucos, nos dias de hoje, a presença de jovens repórteres que sejam arrojados e que exerçam com desembaraço a profissão. A maioria está no ramo para garantir “o pão de cada dia”. Outro lado que impede a melhora é a dependência econômica. Ninguém, em sã consciência, vai atacar uma pessoa ou empresa, que é um de seus principais clientes.
O ataque só é feito quando a “tela seca”, infelizmente. O SENHOR CONVIVEU NA DÉCADA DE 60 COM A CENSURA IMPOSTA PELO AI-5. CONTE-NOS UM POUCO COMO FOI SER JORNALISTA NESSE PERÍODO. A IMPRENSA ATUAL É RELATIVA OU ABSOLUTAMENTE LIVRE? Ser jornalista não era fácil, lógico. Não podendo escrever nada a não ser o que alguns queriam não é nada confortável. Passamos essa época em várias cidades do Paraná. Uma delas foi em Foz do Iguaçu. Lá noticiamos um assassinato pelo próprio marido. Toda a vizinhança havia visto o dito sargento arrastando o cadáver no fundo do quintal e atirando o corpo em um poço.
Fomos “convidados” a compareceu na Policia Federal e lá receber alguns “conselhos” para que fossemos moderados ao escrever e que daquela data em diante, nossa matérias, passariam a passar por uma censura prévia. E foi feito...
Nos dias de hoje é livre, mas com algumas restrições. O que achamos até normal.
Para nós, que amamos a profissão, todas as nossas chamas foram boas. Uma com um pouco mais de repercussão, outras menos.
QUAL A CHAMADA QUE MAIS GOSTOU DE TER PUBLICADO AO LONGO DA SUA CARREIRA? A manchete que gostaríamos de publicar e ainda não conseguimos, seria: “O impossível aconteceu! Não existe mais corrupção no País!”.
O MOMENTO ATUAL DA SUA VIDA É.... O momento atual da minha vida, a profissional, é de grande alegria, pois conseguimos realizar mais um sonho, colocar nas bancas um jornal diário. Na particular, o setor financeiro ainda deixa que ela seja ótima.
Casal Aroldo Tissot e Sônia Seckcinski
QUAL PROJETO QUE AINDA NÃO ACONTECEU, GOSTARIA DE REALIZAR? O projeto que ainda não conseguimos fazer acontecer é transformar o Jornal Gazeta do Centro Oeste um jornal que venha a ser um dos melhores e mais vibrantes, mesmo em porte médio, do Paraná.
QUAL REPORTAGEM MARCOU SUA HISTÓRIA E SUA VIDA? Várias reportagens marcaram nossa história e jamais voltaríamos atrás por nenhuma atitude tomada por nós.
CITE TRÊS PERSONALIDADES ESPORTIVAS DE CAMPO MOURÃO?
As três personalidades esportivas de Campo Mourão, poderíamos citar os eternos Itamar Tagliari e Ari Mateus, além de Marcos Corpa (foto),
um desportista sempre disposto a colaborar com o esporte e
freqüentar os locais de eventos esportivos.
Na sua própria casa, ele recebe todas as semanas seus amigos para bater uma bola, em campo iluminado.
CITE TRÊS PERSONALIDADES EM CAMPO MOURÃO? Outras três personalidades fora do esporte é mais difícil, pois existem, graças a Deus, muito mais que esse número merece ser assim taxado. Mas se é para citar apenas três, vamos lá: José Aroldo Galassini, Dra. Tânia Trombini e Nestor Bisi.
Em foto histórica, Aroldo Tissot com o jornalista João Milanez - fundador da Folha de Londrina- e Aroldo Gallassini.
O GOVERNO NELSON TURECK É... um dos melhores que Campo Mourão já teve, embora não tenhamos concordado com muitos atos do prefeito. Mas como ninguém é perfeito, não serão esses fatos estranhos que apagam o grande impulso que seu Governo trouxe para nosso município.
Na foto, Aroldo com o título de "Amigo da Polícia Militar" ao lado das autoridades
O GOVERNO LULA É...
apesar da sorte que teve, com o mundo entrando em crise, principalmente os Estados Unidos. Com o “Tio Sam” em crise, o dólar desvalorizado, nossa dívida caiu violentamente e nosso Real valorizado, pode pagar muito mais dívidas. Assim sobrou dinheiro para as verdadeiras “esmolas” que o presidente Lula distribuiu por este Brasil afora, dando a impressão ao nosso povão que estamos nadando em águas cristalinas. O mar de corrupção ficou sem ser visto por essa camada que se contenta com uma minguada quantia, que não se sabe até quando o País irá sustentar esse compromisso.
O Governo Lula tem conseguido esconder o lado sombrio de seu Governo. O lado dos bandidos invadindo nossas propriedades como se fosse uma coisa muito natural.
Vamos esperar para que o futuro nos prove o medíocre governo que assistimos nesses últimos anos, com Lula no poder.
Comício realizado no Lar Paraná, em Campo Mourãom, com os candidatos Jânio Quadros (Brasil) e Souza Naves (Paraná) com cobertura da Rádio Colméia (Repórter Aroldo Tissot)
SONIA SECKSINSKI É.... Minha companheira e sócia, Sonia, foi uma luz no fim do túnel, que apareceu na hora que eu mais precisava. Agradeço a Deus essa chance que tive de encontrá-la.
Aroldo e Sônia; Sônia e Aroldo: inseparáveis há dezenas de anos na vida e no jornalismo
QUEM O SENHOR SUGERE PARA SER CELEBRIDADE AQUI NO BLOG E HOMENAGEADO NA ENTREVISTA DE DOMINGO? Para o próximo nome no Blog, sugiro o nome de Nestor Bisi.
Nota do BLOG: Nestor Bisi é Celebridade deste BLOG - Foi personagem da ENTREVISTA DE DOMINGO em 24 de maio de 2010. Para ler a ENTREVISTA digite no google www.ilivaldoduarte.blogspot.com./2009/05/entrevista-de-domingo-nestor-ocimar.html
QUAL PERGUNTA QUE NÃO LHE FIZ QUE GOSTARIA DE TER RESPONDIDO? ESCREVA A PERGUNTA E A RESPONDA. A principio nada ficou de importante em nossa vida que tenha sido perguntado
Em 2005, no ano do Centenário do Rotary, Aroldo Tissot recebeu o título de Sócio Honorário. Na foto co Gilberto Muraro e Edmilson Zarpelon
QUAL O SENTIMENTO DE RECEBER ESTÁ HOMENAGEM E PARTILHAR UM POUCO DA SUA VIDA E DA SUA HISTORIA?
O sentimento de receber esta homenagem, não poderíamos transformá-la em palavras. Com palavras, apenas podemos dizer que estamos orgulhosos, pois entre mais de 20 mil pessoas, fomos um dos escolhidos para fazer parte também do mundo virtual e, ainda mais, no Blog desse nosso amigo que dia-a-dia vem demonstrando uma tremenda capacidade de produzir programas abrangentes e que toca de cheio em nossos corações.
Ilivaldo muito obrigado e continue trilhando esse caminho, pois sãos desses homens como você, que a Nação esta carente, pobre e tão necessitada dessa força que o seu trabalho está nos dando que saibamos que não estamos vivendo em vão. Que o nosso trabalho tem o reconhecimento de pessoas como Ilivaldo Duarte, que continua Tocando de Primeira. Obrigado e Parabéns.
Na edição 761 do programa Tocando de Pimeira em fevereiro de 2008, o jornalista Aroldo Tissot recebeu homenagem-surpresa com o troféu Tocando de Primeira, na Rádio Rural AM e o título de Celebridade no rádio mourãoense.
QUAL O RECADO PARA OS LEITORES DO BLOG? Em tempos: A nossa impressão sobre o quadro no Blog Entrevista de Domingo é que o autor conseguiu mais uma vez bolar um quadro abrangente e que seria para todos um orgulho ser escolhido para ser um dos partícipes do mesmo. Aos leitores do Blog, uma sugestão: Só por curiosidade, procure encontrar outro do mesmo gênero, que seja mais atraente que este.
Aroldo ao lado de Luiz Gonzaga e Ilivaldo Duarte, no programa Falando Sério, na noite de 29 de abril de 2010, na TV Cara jás em Campo Mourão

6 comentários:

  1. Esse cidadão que foi "homenageado" mostra como a imprensa de Campo Mourão de maneira geral é fraca e oportunista,esse senhor não tem a menor condição de ser chamado de jornalista.

    ResponderExcluir
  2. Victor Salvadori3 de maio de 2010 20:40

    Ilivaldo,gosto muito de vc,mas os entrevistados tem de ser melhor escolhidos,esse cidadão é uma vergonha pra nós mourãoenses de verdade.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Ilivaldo por mais esta entrevista. Senhor Aroldo parabéns pelo senhor ser esta pessoa iluminada e querida,nós amamos vcs, Sônia um beijo p/ vc também ,grande companheira. Voces não se escondem atráz de pseudônimos ou mascaras, mas sim batalham e querem um Brasil melhor para TODOS.

    ResponderExcluir
  4. Elza Paulina de Moraes6 de maio de 2010 16:49

    Parabéns Amigo Aroldo,
    sua participação na vida e na história do povo mourãoense tem sido de pioneirismo, humildade e muito trabalho.

    ResponderExcluir
  5. "A inveja é a amargura que se sofre por causa da felicidade alheia." (Cícero)

    Essa frase se comporta bem para os dois primeiros comentários.

    Parabéns Aroldo

    ResponderExcluir
  6. Os humildes serao elevados, nao aqui na terra, porque é um mundo de falsas aparencias,parabens Ilivaldo, homenagem se faz em vida as pessoas, Haroldo e Sonia que nao os vejo da muitos anos, meu abraço forte com saudade.PS:peço desculpas por nao acentuar as palavras, mas teclado italiano nao tem acento. abraço Ilivaldo.

    ResponderExcluir